feat0

Resenha: 50 Tons de Cinza

Quem não gosta de romance? Acredito que este seja um dos gêneros mais lidos, talvez mais pelo sexo feminino... mas, pra falar a verdade, acho — só acho —, que a maioria dos leitores que curtem romance, não gostaram de 50 Tons de Cinza, por ser uma obra muito fraca!

Leia Mais
feat2

Resenha: O ladrao de Raios

The Lightning Thief (O Ladrão de Raios) é o tipo de livro que já começa tirando uma onda pra chamar a atenção do leitor. Tem um ritmo impecável do começo ao fim; você pisca os olhos e já está no final. Que bruxaria é essa, Riordan?

Leia Mais
feat3

Resenha do livro "Um Dia"

Um Dia é um belo romance, não tão açucarado. Nele encontramos o amor (ah, o amor), que surge despercebido entre Emma e Dexter, e que amadurece junto a eles, ás vezes parecendo ter sumido com o passar dos anos, mas sempre estando lá, fincado nos corações dos dois. "O amor nunca morre"!

Leia Mais
feat4

Review do filme "MAMA"

Quando o pai de Victoria e Lilly mata a mãe das garotas, as crianças fogem assustadas para uma floresta. Durante cinco anos, ninguém tem notícia do paradeiro delas, até o dia em que elas reaparecerem, sem explicação de como sobreviveram sozinhas.

Leia Mais
feat5

Top 7 criaturas sobrenaturais

Uma enquete com a pergunta "qual você prefere?" em relação às criaturas "zumbis, sereias, vampiros, bruxos, fantasmas, anjos, e lobisomens", ficou aberta para votação no blog. Agora, de acordo com o resultado, analisem um Top 7 criaturas sobrenaturais, normalmente encontradas nos livros YAs.

Leia Mais

Livro vs Filme?



Certo dia, Maria leu um lançamento e adorou; tudo nele era lindo e perfeito. Mas ela não foi à única que gostou, e logo o livro se tornou o mais novo best-seller do momento. Então, eis que surge a notícia: os direitos da obra haviam sido comprados e um roteiro para o cinema criado. "Meu Deus, vão acabar com a minha estória favorita!", pensa Maria. Tudo bem, Maria, quem se importa? Bem, a verdade é que muitos se importam, e este é o assunto desta matéria.

As adaptações cinematográficas são enxergadas como grandes vilãs. As pessoas querem ver o filme exatamente igual ao livro; as pessoas querem que o roteiro do filme seja o próprio livro.  Mas as coisas não são bem assim. Quando uma produtora compra os direitos de um livro, ela procura fazer algo bom com a base da estória, seja parecido com a original ou não.

É desnecessário críticas em que julgam o filme ruim por ser diferente do livro. Falar que o livro é melhor por as coisas acontecerem de uma forma mais interessante, tudo bem. Mas e quando o filme é bom, de uma forma diferente da do livro adaptado? Ainda assim alguns ainda classificam ruim (por conta da diferença)!

Quando A Hospedeira estreou nas telonas, pessoas o classificaram como MUITO pior que o livro por o motivo de pequenos detalhes não terem sido salvos do livro; qual a importância da Buscadora não ser baixa, usar branco, e possuir cabelo loiro? Só por que no livro ela é o oposto na aparência? Já pararam pra pensar que o branco se encaixa muito melhor nas almas, já que elas são pacificas?

Saindo um pouco do exemplo dado com A Hospedeira, e indo direto ao ponto de uma forma mais esclarecedora: quando os direitos de um livro é comprado para a produção de um filme, este deve ser criticado separadamente. Deve-se esquecer da existência do livro e falar sobre os verdadeiros defeitos e qualidades que o longa (ou não) carrega.

O que você acha?

Currently have 7 comentários:

  1. Oi, tudo bom?
    Nossa, concordo com você
    Vejo muita gente julgando o filme ou uma série só por ter questões diferentes da original.
    Lógico, quando a mudança altera a característica da obra literária, fica ruim mesmo, mas pequenos detalhes são feitos para o filme se tornar mais atrativo, já que é uma coisa mais popular!
    Tem promoção e post novo
    Beijos
    Endless Poem

  2. eu raramente vejo adaptações porque geralmente não gosto. Contudo eu sei separar as coisas, não espero que haja todos os detalhes (isso é obvio) mas já vi algumas adaptações que me perguntei se era mesmo adaptação ou apenas uma coincidência de nomes.

    Ainda assim, nas raras vezes que vejo uma adaptação, eu separo as coisas. Existe o "como filme" e o "como adaptação".

    Exemplo:
    Príncipe Caspian - Como filme: Ótimo - Como adaptação: Razoável (e, inclusive, principe Caspian é o raríssimo - de fato, único - caso em que eu prefiro o filme ao livro.)

    Té mais...
    http://bmelo42.blogspot.com.br/

  3. Concordo plenamente! Filme deve ser julgado de forma separada do livro, não importa se é adaptação! O mesmo vale se for uma adaptação de filme para livro!

  4. Amei seu texto! Isso é uma verdade e tanto. Já assisti muitas adaptações que são tão boas quanto os livros mesmo tento elementos diferentes. É claro que quando eles fazem uma coisa nada a ver, você fica com raiva, mas se o filme for bom, não tem porque julgar.

    http://bloglivrosecha.blogspot.com.br/

  5. Concordo em parte, pq eu não consigo ver o filme e separá-lo do livro se já tiver lido ele antes... é automático. Queria conseguir separá-los como vc falou, ia aproveitar muito mais... XD rs bjão
    http://coisasdebelaa.blogspot.com.br/

  6. Nao existiria o filme se nao fosse o livro idiota! e se a pessoa compra a historia eh pq ela tem que fazer a historia igual senao ela criaria uma historia diferente

  7. Nao existiria o filme se nao fosse o livro! E se a pessoa compra a historia eh pq ela tem que fazer a historia igual senao ela criaria uma historia diferente


Deixe um comentário

Comentários ofensivos são deletados. Caso você não possua um site/blog e queira comentar, use o campo "Nome/URL" e coloque seu nome no campo correspondente, deixando o campo de URL em branco. Ou, se preferir, comente como Anônimo.